Menu fechado

O Caminho

Leitura Bíblica: Atos 17.1-9

É necessário que o Filho do homem … seja morto e ressuscite no terceiro dia (Lc 9.22).

Em 1982, uma mulher pegou o ônibus errado na Tailândia e ficou perdida por 25 anos. Ela embarcou numa condução, pensando estar indo para a sua aldeia, no sul do país, mas foi parar 1200 quilômetros ao norte, em Bangcoc. Tentando voltar, pegou outro ônibus, mas novamente se enganou e desembarcou 800 quilômetros ainda mais ao norte do país. Falando apenas um dialeto tribal pouco conhecido, não conseguia se comunicar em tailandês, e assim viveu cinco anos na rua, mendigando, até ser recolhida em um centro de apoio para pessoas carentes. Vinte anos depois, chegaram ali alguns estudantes do sul da Tailândia para um intercâmbio. Estes entendiam o dialeto da mulher e ouviram sua história. Após tanto sofrimento, ela finalmente pôde voltar para casa.

Quem viaja obviamente deve tomar cuidado para embarcar no ônibus certo. Mais importante do que tudo, porém, é conhecer o caminho que leva à vida eterna. Portanto, para não “embarcar” num falso evangelho, é necessário conhecer o autêntico evangelho de Jesus Cristo, que afirmou: “Eu sou o caminho… Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim” (Jo 14.6).

O verdadeiro evangelho, fiel às Escrituras, que Paulo pregou em Tessalônica, contém três verdades essenciais: 1) o Cristo deveria sofrer; 2) ele ressuscitaria dos mortos e 3) Jesus era este Cristo. Note que não se trata de uma lista de coisas que nós devemos fazer para alcançar a vida eterna, mas do que Jesus fez por nós, morrendo em nosso lugar e sendo ressuscitado pelo Pai que, assim, aceitou seu sacrifício. Quem assim crê é adotado como filho de Deus e torna-se herdeiro da vida eterna. O evangelho se resume numa pessoa, Jesus de Nazaré, em quem as promessas de Deus se cumpriram.

Muitos em Tessalônica creram neste evangelho, que mudou as suas vidas e pode transformar também a sua, pois em Cristo somos novas criaturas (2Co 5.17)! – Sérgio Vilmar Markus

O evangelho genuíno fala do que Jesus fez por nós, e não do que nós temos de fazer para merecer a salvação.


1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *